1. 1

Cristo, nosso tudo em todas as coisas
Publicado em 2016-02-26

Para que tornemos Cristo em tudo para nós, temos de fazer duas coisas. Primeiro, temos de nos esvaziar. Se somos salvos pelo evangelho precisamos reconhecer que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. (Romanos 7: 18).

Proclamemos o amor de Cristo e tê-lo-emos em todas as efervescentes de nossa vida quando reconhecemos o quão desesperadamente temos necessidade dele. Para isso, precisamos esvaziar-nos do nosso ego pecaminoso. 

Segundo, se temos de parar de nos gabar de nós mesmos quando chegamos a Cristo, temos também de começar a nos orgulhar em Cristo. “Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo.” (Gálatas 6:14).

Temos agora apenas uma glória: o próprio Deus. Somente Deus fez por nós tudo de valor permanente: a nossa aceitação diante de Deus, a nossa alegria na vida, a nossa sabedoria para viver, e a nossa esperança para o futuro. Ele é nosso tudo em tudo. Cristo, por sua gloriosa redenção dos pecadores, tornou-se centro de nossas vidas.

Podemos contemplar os relatos do evangelho para ver o que significa ter Cristo no centro de nossa vida. No evangelho de Mateus, por exemplo, aprendemos que, se tivermos uma vida centrada em Cristo, adoramos sua majestade (Mateus 2); cremos em sua mensagem (Mateus 4); obedecemos ao seu ensino (Mateus 5-7); chamamos a Deus de Pai (Mateus 6); experimentamos sua cura (Mateus 8-9); envolvemo-nos em sua missão (Mateus 10); tomamos nossa Cruz (Mateus 16); amamos sua igreja (Mateus 18); retribuímos o seu amor (Mateus 26); gloriamo-nos em sua cruz (Mateus 27); celebramos sua ressurreição (Mateus 28). 

É disso que a vida verdadeira trata. À luz de nosso vazio e de sua plenitude, existem algumas implicações óbvias à obra redentiva de Cristo: primeiro, temos de encontrar nosso contentamento somente nele; segundo, temos de derramar sobre nossas vidas o evangelho.

Nossas vidas têm de ser focadas nele. A redenção de Cristo está no cerne da teologia cristã. Que ela esteja também no coração de cada cristão.

Pr. Artur Coelho




Voltar