1. 1

A nossa geração e a de Noé
Publicado em 2015-11-27

Vendo e ouvindo tudo o que está acontecendo em nossos dias, me lembrei da geração em que viveu Noé. Como era a geração de Noé? O registro bíblico a descreve: “Viu o Senhor que era grande a maldade do homem na terra, e que toda a imaginação dos pensamentos do seu coração era má continuamente” — Gênesis 6: 5 (Almeida). A Bíblia Viva amplia a nossa visão da geração de Noé: “O Senhor viu como o homem foi ficando cada vez pior, e que tudo que pensava e queria era sempre mau” — Gênesis 5: 5. “Viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra” — Gênesis 6: 12 (A Bíblia Viva).

Mas naquela geração dominada pelo pecado havia um homem e uma família diferentes: Noé e sua família. “Noé era o único homem reto, de todos os que viviam naquele tempo. Ele procurava viver sempre de acordo com a vontade de Deus” — Gênesis 9: 9 (A Bíblia Viva). Graças à vida de Noé, as águas do dilúvio não destruíram a humanidade inteira. Noé era a última reserva moral e espiritual daquela geração.

Reportamo-nos agora para a nossa geração, a dos nossos dias. Será que há muita diferença?

Quanto ao pecado e à maldade humana crescente, infelizmente, há uma semelhança muito grande. Olhando para o que acontece no mundo inteiro, ou em nossa pátria, o Brasil, vemos que o domínio do mal é gigantesco. Corrupção, violência, maquinação de toda a espécie de males, abandono quase completo de Deus, o egoísmo e egolatria, o hedonismo... Enfim, o predomínio do mal.

Mas, será que, em nossa geração, Deus pode encontrar homens em quem Ele se compraza? Homens, à semelhança de Noé, “que procuram sempre viver de acordo com a Sua vontade”?

Graças ao próprio Deus, pelo Seu plano em Cristo Jesus, temos “uma geração eleita, um sacerdócio real, um povo adquirido que deve anunciar as grandezas de Deus” — 1 Pedro 2: 9. Um povo resgatado da vida de pecados e delitos em que vivia anteriormente para uma nova vida em Cristo (Efésios 2).

Sabemos que o pecado e a maldade crescerão, como está acontecendo. Jesus profetizou que isto ocorreria no fim dos tempos. A ciência se multiplicaria, os homens viajariam de uma parte para outra. Mas Ele também nos incumbiu de sermos agentes transformadores na sociedade em que vivemos.

Somos o sal da terra e a luz do mundo. Sabendo de tudo isto, como salvos em Cristo, “enquanto aguardamos o cumprimento de todas as coisas, precisamos ser testemunhas de Cristo em nosso viver em santidade e piedade”. Que cada um de nós no meio desta geração corrompida seja fiel como o foi Noé. Amém.

Pr. Miguel Horvath




Voltar