1. 1

Parla!
Publicado em 2015-06-29

No último final de semana, fui agraciado ao ouvir a experiência de uma pessoa com Cristo em sua vida. Meditando sobre este “testemunho” e sobre o quanto isso foi decisivo na vida desta pessoa, percebi o quanto essa experiência foi revigorante para mim. Fui relembrando de quanto as experiências dos nossos irmãos são usadas por Deus para nos abençoar quando entendida pelas lentes do evangelho, usadas por Deus para alcançar vidas para seu reino.

Pensando no apóstolo Paulo, podemos observar que ele não compartilhava seu testemunho por hábito, nem com o propósito genérico de inspirar pessoas, nem tão pouco porque gostava de voltar a atenção para suas experiências pessoais. Ele só o compartilhava por acreditar que isso ajudaria seus ouvintes a terem um encontro com Cristo e os encorajariam a não deixá-lo.

Paulo aqui também é um bom exemplo para nós. Mostra-nos que devemos ter a coragem de ser vulneráveis e falar em nível pessoal sobre o sentido do evangelho para nós. Devemos fazer isso, pois o evangelho é um apelo para levarmos nossa vida inteira, mente e coração, a Cristo. Deixar de fora o que pensamos ou como nos sentimos é dar uma imagem incompleta do quanto o compromisso cristão é abrangente. Se excluirmos nosso testemunho, também transmitimos uma imagem incompleta do quanto a realização cristã é ampla em nossas vidas.

Ao mesmo tempo, Paulo também nos lembra de que só devemos compartilhar nosso testemunho se ele for útil para outras pessoas. Por estranho que pareça, é muito fácil usá-lo de modo a ofuscar o evangelho. Paulo recorre ao testemunho pessoal só para deixar claro o evangelho. Não compartilharmos nossa história em benefício próprio, mas para ajudar outros a entender e encontrar Cristo, para guiá-los em direção ao maravilhoso evangelho da graça que transformou nossa vida e que sabemos ser capaz de transformar a deles também.

Olhando para estas considerações, deixe-se ser usado por Deus através daquilo que ele tem feito em sua vida, por meio do evangelho, testemunhe com olhos voltados para a Cruz. Quem sabe você será usado por Deus para abençoar vidas, como aconteceu comigo?

Soli Deo Glória.

Pr. Artur Coelho




Voltar