1. 1

A Família e a Lei da Semeadura
Publicado em 2015-05-18

Qual legado você recebeu de seus pais? E o que você deixará para seus filhos? Olhando para a vida de alguns personagens bíblicos, podemos observar aquilo que eles receberam de seus pais por herança e passaram adiante para as gerações futuras. Abraão e sua família são um clássico exemplo disso. Se fizermos um exame detalhado da vida desse personagem, observaremos que o autor de Gênesis nos apresenta uma marca negativa na vida desse grande herói da fé: a mentira. Por duas ocasiões distintas o autor nos apresenta circunstâncias em que Abraão mente para salvar a sua própria vida: no Egito (Gn 12.18) e em Gerar (Gn 20.1-7). O grande pai da fé havia se esquecido da promessa feita por Deus a ele anteriormente (Gn 12.1-3), e com suas próprias forças tentou proteger a sua integridade física, vindo com isso a dar um péssimo exemplo de desonestidade e de desconfiança para seus familiares. Semelhantemente seu filho, Isaque, comete a mesma prática adotada por seu pai. Em Gerar, anos depois do ocorrido com Abraão, Isaque é alcançado por uma situação idêntica em que também mente para salvar a sua própria pele (Gn 26.7). Mesmo o SENHOR tendo lhe estendido a promessa anteriormente feita a Abraão (Gn 26.2-5), Isaque se apoiou em suas próprias forças e usou da mentira como um escape para a sua preservação. Com Jacó, infelizmente, a história não foi diferente, pois ele influenciado pela sua mãe, Rebeca, pratica o mesmo tipo de mentira para se favorecer frente ao seu próprio irmão Esaú e seu pai Jacó (Gn 27). Pai, filho e avô. Três gerações cometendo reiteradamente o mesmo comportamento ao longo de vários anos.

Diante deste episódio em Gênesis não devemos pensar que as atitudes dos pais determinam o comportamento dos filhos, vitimizando-os de suas atitudes pecaminosas de desobediência e, consequentemente, anulando a sua condição de pecador; mas é certo que os nossos modelos influenciam fortemente as práticas por eles adotadas. Por isso, compete a nós, cristãos, sermos pais sábios e exemplares que agradem a Deus em nosso estilo de vida, para que possamos deixar um legado espiritualmente rico, seguro e próspero para os nossos filhos. É preciso começar em nós o exemplo a ser seguido.

Daquele que já recebeu esse legado e que deseja ser esse referencial positivo para os seus filhos.

Pr. Roni Santos




Voltar