1. 1

Provérbios e a lei!
Publicado em 2014-11-24

Estava refletindo esta semana sobre a lei de Deus e seus resultados visíveis, que normalmente são mal compreendidos.

Esta reflexão se dá por olhar para o livro de provérbios - livro que estamos estudando com os jovens - e perceber o quanto a lei está ligada a literatura de sabedoria, e, sem ela, jamais saberemos o que é, e como se processa o temor do SENHOR. 

É notável o uso abundante da “Torah” no livro de Provérbios mostrando como a lei de Deus, compreendida de maneira correta, pode nos abençoar. Este resultado é a expressão clara daqueles que aplicam o Salmo 119.97 em seus dias - Quanto amo a sua lei! É a minha meditação, todo dia. Precisamos lembrar que, os cinco livros que compõem a Torah (Pentateuco - AT) não são apenas uma lista de leis, mas, grande parte de seu conteúdo é de histórias e revelações divinamente inspiradas. Portanto, ela é a instrução de Deus para seu povo, para nós! Uma instrução amorosa e cheia de graça, sim, cheia de graça, que prevê todas as bênçãos para aqueles que a obedecem, que querem viver justa e piedosamente, e, certamente, maldições para aqueles que a rejeitam, quer intelectualmente.

Entrando em Provérbios sinônimos de Torah são: ‘ensino, doutrina, instrução e lei’. A instrução deve ser ouvida, lembrada e guardada no coração. Vemos que a Torah é dada pelo pai, pela mãe e pelo sábio e serve como lâmpada e luz para o caminho. O filho que a guarda é prudente e não deixa o seu ensino. A bondade da língua está ligada a Torah, para que fale com sabedoria. A indignação contra a perversidade está ligada ao conhecimento que se tem da Torah de Deus e aquele que se coloca contra ela acaba louvando o perverso. A própria corrupção está ligada à falta da Torah de Deus. O que se desvia da Torah, até as suas orações são abominação para Deus.

Bem, se queremos demonstrar o nosso temor do Senhor - que envolve: amor, respeito, admiração, submissão e responsabilidade - precisamos lembrar que amar a lei de Deus é fundamental para o sucesso de nossa empreitada.

Sola Scriputura!

Pr. Artur Coelho




Voltar