1. 1

(EBD) Serviço e sofrimento – I Pedro 4. 7 – 19
Publicado em 2017-03-23

O apóstolo Pedro, no texto de hoje, exorta-nos lembrando “que já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração” (v.7). No decorrer de todo o texto, Pedro recomenda três atitudes, enquanto aguardamos “o fim de todas as coisas”: ser sóbrios, vigiar em oração e dedicação ao serviço cristão.

Os cristãos primitivos estavam diante de iminente ameaça de perseguições por causa da fé cristã. Eles tinham convicção de que Cristo voltaria em breve. Não deviam ficar ociosos e nem revoltar-se com as ameaças ou mesmo com a perseguição. Deviam ser sensatos, não incitando nenhum alvoroço, cumprindo com as suas responsabilidades para boa reputação do nome de Cristo e de Sua Igreja.

Se tivessem que padecer pelo fato de serem cristãos, que então não se envergonhassem, antes glorificassem a Deus com seus testemunhos. Nós ainda não sofremos perseguição aberta, mas, tanto agora como quando vierem perseguições por sermos cristãos verdadeiros, devemos ter as mesmas atitudes recomendadas por Pedro.

Enquanto não chega “o fim de todas as coisas”, isto é, a volta visível de Jesus Cristo a este mundo e a consumação deste século, nós devemos estar vigilantes em oração e dedicados à obra de fazer conhecido o Evangelho. Porém, em nossos dias, a grande maioria do povo de Deus parece não crer que o fim está se aproximando a cada dia. Vive tão contextualizada com o mundo que nem pensa ou, às vezes, nem deseja a breve volta de Cristo. Jesus advertiu: “Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que possais escapar de todas estas coisas que hão de acontecer, e estar em pé diante do Filho do homem” (Lucas 21.36). Não devemos ser apanhados de improviso com a volta do Senhor.

Se, pela nossa fidelidade a Cristo, tivermos de sofrer ou de ser injuriados ou mesmo injustiçados, devemos considerar-nos bem-aventurados, pois teremos o nosso reconhecimento e galardão, que nos serão concedidos pelo Senhor. Não podemos ser negligentes em nosso testemunho de vida e em usar todas as oportunidades para apresentar o plano de salvação que Cristo oferece a todos.


Pr. Miguel Horvath




Voltar