1. 1

Vivendo no mundo sem ser do mundo
Publicado em 2017-02-24

“Dei-lhes a Tua Palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo” – João 17. 14

Nestes dias, estamos vivendo em um mundo dominado pelas trevas do pecado. O carnaval, cuja origem remonta a séculos anteriores à era cristã (ainda que com nomes diferentes, como bacanais ou saturninas, por exemplo), está tomando conta da sociedade. É uma festa de origem pagã, aceita pela Igreja Católica Apostólica Romana após alguma relutância. Infelizmente, algumas igrejas “ditas evangélicas” participam desta festa mundana com desfile de blocos, ignorando que nós estamos neste mundo, mas não pertencemos a ele.

O príncipe deste mundo é Satanás (João 12.31; 14.30; 16.11). Ele estabelece os princípios que regem a sociedade. Como o Novo Testamento prevê, à medida que os dias finais se aproximassem, a degradação humana irá aumentando (I Timóteo 4.1-3; II Timóteo 3.1-5), cumprindo a profecia de Isaías em todo o capítulo 24, especialmente no versículo 5. O final deste versículo enumera as razões da contaminação da Terra pelos seus moradores: transgressão das leis, mudança dos estatutos e quebra da aliança eterna. É o que está acontecendo hoje. 

As leis, os estatutos e a aliança eterna são de origem divina, mas, os homens, “dizendo-se sábios, tornaram-se loucos; (...) pois, mudaram a glória de Deus em mentira e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Pelo que Deus os abandonou às paixões infames” (Romanos 1. 22 -28). A inspiração para toda a rebeldia humana provém do seu príncipe (Satanás). Com a mesma astúcia com que enganou Eva, ele continua a iludir o mundo de hoje.

Jesus Cristo, em sua oração sacerdotal, deixou bem claro que nós, os salvos pelo seu sangue, não somos mais do mundo, ainda que vivamos aqui. Estamos nele pela vontade divina para que o mundo venha a reconhecer que só em Deus há salvação e esperança para a solução de todos os problemas humanos. A nossa vida deve ser de tal santidade que os homens ao nosso redor vejam a diferença que fazemos. A luz de nossas vidas deve brilhar para o mundo.

Pr. Miguel Horvath




Voltar