1. 1

Enfim férias...
Publicado em 2016-07-08

Assim é o mês de Julho, mês de férias, tempo de passear, descansar, viajar. Eu mesmo já fiz vários planos, lugares que quero conhecer, outros por onde quero repassar, coisas que quero fazer e outras que quero observar. Aqueles que me conhecem devem saber que a maior parte desses planos estão ligados a trilhas, bicicletas, tirolesas, corridas de montanha e por ai vai...

Isso me faz lembrar de alguns trechos das confissões de Agostinho:

“Os homens saem para fazer passeios, a fim de admirar o alto dos montes, o ruído incessante dos mares, o belo e o ininterrupto curso dos rios, os majestosos movimentos dos astros. E, no entanto, passam ao largo de si mesmos. Não se arriscam na aventura de um passeio interior.”

“Mas Tu me chamaste, clamaste por mim e Teu grito rompeu a minha surdez... Mas Tu me arrancaste do meu esconderijo e me puseste diante de mim mesmo, a fim de que eu enxergasse o indigno que era, o quão deformado, manchado e sujo eu estava.”

“Brilhaste, resplandeceste sobre mim e afugentaste a minha cegueira.”

“Exalaste Teu perfume e respirei. Agora suspiro por Ti, anseio por Ti!”

“Deus... de Quem separar-se é morrer, de Quem aproximar-se é ressuscitar, com Quem habitar é viver. Deus... de Quem fugir é cair, a Quem voltar é levantar-se, em Quem apoiar-se é estar seguro. Deus... a Quem esquecer é perecer, a Quem buscar é renascer, a Quem conhecer é possuir.”

“Foi assim que descobri a Deus e me dei conta de que, no fundo, era a Ele, mesmo sem saber, a Quem buscava ardentemente o meu coração.”

Que nosso tempo de férias seja também um tempo em que Deus seja adorado, exaltado e glorificado. Que nosso tempo de férias seja também um tempo onde nos “arrisquemos na aventura de um passeio interior”, um passeio que revele a nossa necessidade e dependência de Deus.

Que, após nossas férias, digamos como um dia disse agostinho:

“Provei-Te e agora tenho fome e sede de Ti. E agora, Senhor, só amo a Ti! Só sigo a Ti! Só busco a Ti! Só ardo por Ti!”

Pr. Denis Araujo




Voltar